/*--Resumo do post--*/ z


Gestação | Como foi a sua?

Acho que nunca contei como foi me descobrir grávida. Na verdade, até hoje quando olho para a
minha filha eu penso: "Nossa, como é que pode ter saído de mim??" (rsrsrsrsrs)

É louca a sensação daqueles zilhões de células se multiplicando a cada segundo no meu ventre.
Eu digo: Surreal e perfeito!
Com certeza também foi aterrorizador!

Surreal porque realmente é inacreditável o quanto tudo muda dentro e fora da gente.
Perfeito porque não poderia haver herança melhor para Deus me enviar.
Não há amor maior que eu já tenha sentido nessa vida.
E aterrorizador porque nunca imaginei que a gestação seria tão turbulenta como foi!

Meus sentidos ficaram aguçados como um gato. Minha mente parece que chocalhou. Assentou algumas ideias e bagunçou totalmente outras.
Todo o meu planejamento de vida e as coisas lógicas que eu conhecia, haviam caído por terra.
rsrsrsrsrsrs
Sim, porque quando eu engravidei, eu recém havia chegado em São Paulo e estava sedente por novas oportunidades de trabalho. Já tinha conseguido fazer bastante coisa legal, mas eu queria mais!!

Me lembro quando eu estava com 32 semanas, passei uma madrugada sentada finalizando um projeto para um edital importante. No cronograma eu estava programando a execução para quando a Bia tivesse 8 meses kkkkkk, assim eu poderia ir viajar junto com a banda do projeto.
A cada hora sentada era uma dor diferente, mas eu não podia parar!

Na minha vida, ter filhos nunca foi uma prioridade. Confesso que eu pensava em ter uma família. Mas nunca coloquei isso como prioridade pra mim ou como fato determinante para a minha felicidade.

Talvez por ser filha de pais separados e não querer passar pelo mesmo, sempre cuidei muito para que eu não engravidasse.
Quando eu tinha 24 anos (mais ou menos) engravidei por descuido e perdi a gestação. Essa perda espontânea acarretou um distúrbio hormonal (Prolactinoma) que me obrigou a passar por um tratamento mais sério (microadenoma na hipófise e nódulos múltiplos no ovário e seios).

Esse distúrbio hormonal, na maioria das vezes, causa infertilidade. E para engravidar o médico (3 médicos na verdade) me disse que eu precisaria fazer um tratamento por 20 meses quando desejasse engravidar. 

Bom, o fato é que como parte do tratamento de controle do distúrbio, parei a pílula por orientação médica para que pudéssemos fazer a contagem hormonal. A pausa seria de 90 dias para ver como 'andava a Prolactinoma'. E eu engravidei em 60 dias após a pausa!

Meu marido disse que tinha certeza que eu estava grávida e Eu afirmava com convicção que era impossível eu engravidar assim "do nada". (Sim, porque DO NADA não foi né?kkkk)

Quando eu percebi minha menstruação atrasada e uma cólica fortíssima, fui ao pronto socorro e recebi um positivo referente a 2 semanas de gestação. Mas a médica plantonista disse que provavelmente era o meu distúrbio hormonal e não gestação.

Aí já começaram as angustias, os medos, as incertezas e as dores.
Era muita cólica. Muita! Eu ia no banheiro achando que estava abortando de novo, mas nada disso aconteceu.

Cinco dias depois, a cólica continuava e eu corri para o pronto socorro de novo. 
Fiz o exame de sangue: positivo. Mas a ecografia transvaginal não acusava saco gestacional nenhum!
Novamente, outra médica me disse. Não é gestação, é distúrbio hormonal.

Com aquela cólica que não passava e a menstruação que não descia, resolvi marcar uma consulta com um obstetra para ele dar o veredicto: Eu estava grávida ou doente?

Foi quando ele nos levou na salinha do lado onde tinha um ultrassom e ouvimos o som mais acelerado e mais emocionante que eu já escutei até hoje. O coração do meu bebê. 
Sim! Era um bebê e não outro tumor!!!!!!!!!!!!

Fiquei em choque por vários dias. A ficha demorou a cair. Aquilo era muito inusitado!!
Apesar da pausa do AC eu tinha convicção que não poderia engravidar novamente sem tratamento!
Com isso veio uma montoeira de medos. Nossa...

Família, trabalho, casa, estabilidade... 
E o que mais me assustava (e assusta até hoje): O que eu vou ensinar para esta criança que está para chegar. 
ESTOU GRÁVIDA, E AGORA????

Comecei o pré natal...

Com 4 semanas eu já enjoava muito!
Meu marido precisou abandonar o perfume e as pessoas da casa precisavam cozinhar de porta fechada porque o cheiro acabava com minha estabilidade olfativa.
Quase surtei. E quase surtei todos que estavam a minha volta!

Eu me irritava por nada! Era uma TPM constante, por 36 semanas!!!!

Sem falar das dezenas de quilos que eu adquiri, o rosto que estourou em espinha e manchas, as pernas que eu não enxergava mais, a azia que me consumia...

Pra me ajudar, o convênio da empresa mudou e precisei mudar de médico.
Eu não conhecia ninguém em São Paulo, minha família toda estava no Rio Grande do Sul e eu estava desesperada, sem obstetra aos 6 meses de gestação.

Acabei caindo na mão de um péssimo profissional, que além de não me tratar bem, ainda me chamava de gorda e de fresca.

eu e minha mãe. 33 semanas
O sonho da gestação de novela tinha caído das nuvens.
Em pleno calor de janeiro eu estava com 7 meses e enorme!! Tudo inchava!

É verdade que a gestação não foi 100% horrível. Foi 90%...
Tive coisas boas como os mimos do meu marido, a amizade que ganhei em um grupo de mães virtuais que me acompanham até hoje...
6 meses
Na gestação em si, a única coisa boa mesmo era sentir ela mexer.
Isso quando ela não esmagava minha bexiga, quebrava minha costela ou tentava sair da barriga puxando o cordão.

A hora de dormir era péssima. Além de não ter posição, eram os momentos em que ela mais mexia.

Por incrível que pareça, ela só parava quando meu marido conversava com a barriga... Aí sim ela se acalmava e eu consegui algumas horas de sono...

Por causa do Prolactinoma, eu produzi leite desde o final do 5º mês. Então minha cama e minhas roupas amanheciam encharcados de leite. Usei absorvente de seio durante a gravidez, coisa que a maioria só faz depois que ganha o bebê.

Minhas amigas que estavam grávidas no mesmo período que eu diziam... "Chel, isso vai passar..."
E é verdade que tudo passou, mas aquilo parecia eteeeerno!!!

Eu confesso que gostei de preparar o quartinho dela, de fazer o chá de bebê, de fazer os ultrassons e ouvir o coração dela... Isso era muito legal!!

Mas de resto, realmente não conheci a "gestação plena".
Ou a minha foi tão plena, mas tãão plena, que eu senti tudo que uma gestação pode proporcionar.


Eu sei que você pode estar lendo esse texto e pensando: " Nossa, tem gente que não deveria ser mãe!" ou "Meu Deus, essa mulher é um monstro!"
Pois pasmem: Eu não quero engravidar de novo nunca mais!!

Pode ser que um dia eu me arrependa de dizer isso e volte atrás... mas com certeza vai ser depois de muita terapia rsrsrsrs

Acho que se eu engravidar de novo vai ser porque Deus mandou, de novo!!! kkkk
"AAA Rachel, mas ninguém engravida sem querer"
Eu te respondo: Vai vendo...

Depois de tudo isso, eu ainda precisei adiantar meu "parto" e com 36 semanas eu fui submetida a uma cesária. Assim, de um dia pro outro eu fui internada.
Se você achou pouco, espera pra ler o relato do meu parto...
Filha na UTI por 4 dias... E depois eu, com infecção hospitalar e quase 20 dias de internação entre o quarto e UTI.


Quando passou o susto e eu voltei pra casa, a Bia já tinha 20 dias.
Eu perdi as primeiras noites dela... Não pude cuidar do seu umbigo... Secaram meu leite e eu não pude mais amamentar..

Mas o resultado disso tudo valeu muito a pena!
A minha filha é a menina mais linda, encantadora, doce e amorosa que eu poderia conhecer.
E ser mãe dela é uma honra!!!
É a melhor coisa que aconteceu na minha vida! Não consigo imaginar minha vida sem ela.
Sem pensar duas vezes eu passaria por tudo de novo pra ter ela.

Claro que o dia a dia tem seus perrengues...
Mas nada supera o "Eu te amo mamãe" ou "Mamãe, você é a melhor mãe do mundo"
Nosso lema é: Um dia de cada vez e com amor a gente chega lá! (LOVE+)

O que eu quero com esse texto?
Eu quero que as mulheres possam se sentir mulheres e que não sejam humilhadas, julgadas ou rotuladas por isso!

Se você teve uma gestação calma, tranquila e equilibrada. Que legal! Acho que um dia eu posso conseguir chegar lá..

Mas se você, assim como eu, não sentiu a gravidez como o melhor momento da sua vida.
Não se culpe! Não se maltrate por isso. Você é normal!

1ª vez caminhando