/*--Resumo do post--*/ z


Educação | Inclusão na Escola

Inclusão de crianças especiais nas escolas. Cada vez mais ouvimos falar sobre isso.
Mas qual o verdadeiro significado da inclusão?

A inclusão de crianças especiais nas escolas é um direito adquirido no Brasil. Essas crianças podem frequentar a escola normal sem a necessidade de participar somente de espaços preparados especialmente para as que tem deficiência.

Mas será que as escolas estão preparadas ou estão somente aceitando essas crianças como uma atitude atual e moderna? Será que essa inclusão passa do fato de ter uma criança especial na sala junto a outras ditas normais?

Além das escolas, nossos filhos, e até nós mesmos, precisamos estar preparados para receber as
crianças especiais. Nenhum início é fácil. Mas a tentativa é recompensadora.

Para a maioria das famílias, a escola serve como oportunidade para primeiro contato com uma criança especial. A inclusão deve ocorrer desde a Educação Infantil pois auxilia o desenvolvimento do portador de necessidades especiais.

A escola no entanto, deve se preparar. Não é só uma questão de recursos técnicos, é um conjunto de ações que promove a inclusão da forma necessária.
O espaço que vai receber esta criança, precisa mais do que rampas e banheiros acessíveis. Precisa trabalhar em conjunto com a família dos colegas desta criança inclusa.

Os especialistas afirmam que ressaltar as qualidades e habilidades desta criança de acordo com sua deficiência é a forma mais rápida de acesso ao entendimento de outra criança.

Quebrar barreiras e preconceitos através de atividades em comum é fundamental.

Os professores e pedagogos precisam estudar métodos em específico para cada tipo de deficiência. Encontrar meios onde as crianças interajam, criando responsabilidades iguais para todos os alunos.

É difícil encontrar uma escola onde esta inclusão seja feita com o carinho e atenção necessária.

A certeza é que, através da inclusão, criaremos adultos mais solidários e conscientes das diferenças no mundo. Sejam especiais ou "normais", ambos ganham no conhecimento, no amadurecimento e no sentimento.

Minha filha tem um colega especial na escola. Eles tem 3 meses de diferença. Ele não se movimenta, apenas corresponde ao sentimento através dos olhos. Minha filha não vê muitas diferenças e disse que é amiga dele. (Eu realmente acho que são, porque já o convidou pra vir aqui em casa brincar e pergunta todos os dias quando ele vai vir.) E isso me enche de felicidade por ver na minha filha um coração aberto.

"Mamãe, o Pedrão está na escola. Ele quer ser o meu amigo especial!" E foi assim que a Bia chegou em casa contando as novidades sobre o novo coleguinha.

Arquivo pessoal
Bia e Pedro na festa de fim de ano da escola

Você sabe se a escola do seu filho é inclusiva? De que forma seu filho respondeu a esta iniciativa?
Seu filho é especial e está em uma escola normal? Conte sua experiência!
Manda pra cá que vira post!

. . . .
Se você gostou, curta a nossa página!

Se você amou, compartilhe o post!