/*--Resumo do post--*/ z


A difícil (ou não) arte de convidar


Hoje o Ideia Dela estreia uma nova coluna: TagareLice
Ela faz parte da seção Amigas Dela, e desta vez eu convidei uma amiga muito especial!
A Ana Alice. 

Nós nos conhecemos no e-family durante a gestação dos nossos filhos. Tanto a Bia quanto o Nathan nasceram em Março então acompanhamos uma a trajetória da outra, junto com um grupo de mais de 15 mulheres maravilhosas, que nos rendem muito apoio, risadas e comemorações. Sim muitas comemorações porque cada etapa vencida é uma vitória! Já falei delas em outro post.

Pois bem, hoje a Lice (como a chamamos), estreia a sua coluna aqui no blog!
Confira no rodapé a biografia da Lice.

Lice, seja bem vinda!
______________________________________________________

A difícil (ou não) arte de convidar

Chega então aquela data especial, aniversário dos filhos.
Durante meses nos programamos, parcelamos, pagamos, permutamos serviços para proporcionar aos nossos tesouros uma festa bacana e divertida.

Entretanto, deparamos-nos com a fatídica “lista de convidados”.
Quem convidar? Quem não convidar?

Passamos tanto tempo no planejamento que sempre deixamos esse “detalhe” para a última hora, por volta de 45 a 30 dias antes do evento. 
Sempre fiz os aniversários do meu primeiro filho em casa, festinha decorada, salgadinhos, cachorro quente, refrigerante, suco, docinhos e bolo. 

Sempre no esquema “convide todo mundo que triscar em você”.  Este ano (na realidade desde agosto do ano passado estamos nos organizando) resolvemos fazer em casa de festa. 

Uma, pois ano passado fiz aniversário do mais velho e chá de fraldas do caçula juntos. Eu já estava entrando no 8° mês, e foi extremamente cansativo e estressante organizar tudo com aquele barrigão master, toda inchada e cansada. 

Outra, porquê meu esposo disse que se eu me “aventurasse” em fazer festa em casa ele me dava as contas”. Pelo bem da família (hehehehe) comecei a pesquisar casas de festas e encontrei uma muitoooo bacana, que me atendeu prontamente, reservou data e etc. 

Daí a coisa começou a ficar séria! Fazer festa em Buffet não significa que você está nadando em rios de dinheiro, apenas que você quer proporcionar ao seu filho  (ninguém menos do que o ANIVERSARIANTE) um momento feliz e divertido. 

Comecei então a fazer a lista de convidados, já que escolhi a festa para 60 pessoas.
Ok!! “Vamos chamar Fulano, Beltrano e Sicrano, mas e Mariazinha, Joãozinho e Pedrinho?”. 

Comecei a refletir, quem realmente MERECE participar desse momento do meu filho? Foi aí que elaborei um rol super taxativo de quem entraria na lista e quem ficaria de fora.

Primeiro: É criança ou é adulto? Se for criança já tem 50% de chance de ser convidado, se é adulto já tem 50% de chance de não ser convidado. 

Obviamente que as crianças na faixa etária do meu filho não virão sozinhas. Pai, mãe e as vezes algum irmão. O adulto participa da vida do meu filho? 

Independente de ser amigo ou familiar, ele vem ver meus filhos? Interage com eles? 

Nat (4 anos) e Nic (9 meses)
Daí encontrei um critério bem simples! Como meu caçula nasceu no final de maio comecei a analisar, quem veio conhecê-lo, quem visita nossa casa com frequência, quem nos convida sempre para eventos. Temos familiares que moram em nossa cidade e até hoje não vieram conhecer o pequeno e sequer perguntam do mais velho. 

Segundo: O que esse convidado irá agregar a festa? Só por ser parente ou por ser vizinho não ganha o “mágico ticket bônus” convite. Meu filho gosta dessa pessoa? É uma pessoa alegre, de bem com a vida? Afinal, iremos ficar no mesmo ambiente por 4 horas!!

Desse modo, a minha lista ficou tãooooo deliciosamente perfeita que não vejo a hora de chegar o aniversário do meu filho. Sei que muitas pessoas irão ficar emburradas, não vão aceitar a nossa escolha. 

Na verdade, sei que terão pessoas que iniciarão a terceira guerra mundial. Mas uma frase que meu esposo sempre fala ressoa na minha cabeça: “a festa é de quem? Do aniversariante”! 

E outra né pessoal: “to pagandoooooooo”!!!





Ana Alice Licht Thiry Paiva, 32 anos, mãe, empreendedora e advogada nas horas vagas. 
"Adoro cozinhar, fazer arte e amo cuidar dos meus filhos (Natan e Nicolas). 
Nessa coluna irei falar de maternidade, culinária, empreendedorismo, organização de eventos e como conciliar tudo isso no dia a dia."
**Fotos de arquivo pessoal, Google e Pinterest